Páginas

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Analise do filme A Corporação

Pós Graduação em Tecnologias Voltadas para a Educação
Escrito Por Lia Fernandes
Análise do Filme A Corporação (The Corporation)
O filme foi feito em 2003 e vasculha os porões do mundo corporativo.
O filme sugere explicitamente que uma corporação atua como um organismo, que visa um objetivo específico - o lucro, o acumulo de capital.
O escritor e o cineasta do filme adentraram os bastidores do mundo corporativo analisando os motivos e as conseqüências de suas ações, numa visão quase psicanalítica.
O documentário é uma análise do mundo corporativo. Os autores fazem uma radiografia das corporações como seres autônomos que funcionam de acordo com um conjunto de regras e motivações, com um comportamento à busca pela realização pessoal em detrimento de qualquer dano causado a terceiros.
A corporação desumaniza o processo de produção e revela o homem à condição de máquina, similares à idéia pré-fordista de automatização, por exemplo, as rotinas de trabalho. Corporações não se sentem responsáveis por danos políticos, sociais, ambientais ou culturais que elas possam causar.
O documentário quer muito mais que promover uma discussão sobre o poder corporativo, ele quer mobilizar as pessoas, a opinião pública; para sair da inércia, da letargia à ação, uma vez que elas são os agentes de mudança.
O título do filme: A Corporação. A busca patológica por lucro e poder, mostra como as ações das empresas no mundo atual (principalmente as grandes corporações), gerou situações patogênicas no campo político, social, ambiental e cultural, a partir de crimes cometidos por empresas transnacionais, expondo os sintomas de uma sociedade enferma.
Fazendo um diagnóstico das corporações, elas têm todas as características psicológicas de um psicopata.
Em síntese, o filme trabalha, também, em cima de metáforas vendo as corporações como maças podres, e grandes monstros. A uma tendência de considerar quase toda grande empresa como expressão do mal.
No filme é feita uma análise psicológica das corporações, eu acho que é psiquiátrica, uma vez que vê as empresas com todos os sintomas de um psicopata, e quem trata de casos psicóticos é o psiquiatra.
Ocorre verdadeira satanização das corporações. A empresa como principal produtora da pobreza, com a conivência dos governos, citando no documentário os baixos salários pagos pelas corporações nos países pobres, relatando a desproporção entre o custo e a mão de obra e o preço final do produto.
O filme coloca as corporações como principais responsáveis aos danos ao meio ambiente e sustentabilidade. A busca do lucro em detrimento da defesa do meio ambiente.
Segundo Michael Moore, as corporações são dirigidas por brancos ricos e isso as torna insensíveis ao drama de pessoas.
As corporações são tirânicas e determinam de forma despótica os rumos da vida nesse planeta, gerenciando de forma irresponsável, alienante e inconseqüente os recursos que por aqui existem deixando um legado doente para as próximas gerações.
Corporações são consideradas como pessoas perante a lei, podem comprar vender, alugar, sofrer perdas, capitalizar ganhos, etc. Só que pessoas de verdade têm corpo físico definido, tem coração, tem sentimento, tem alma.
Fontes de Consulta:
http://cinemateia.wordpress.com/2007/11/09/a-corporacao-the-corporation/
-http://ppkehl.multiply.com/reviews/item/2
http://www.forumnow.com.br/vip/mensagens.asp?forum=126327&topico=2969289
-http://dialetica.org/agridoce/2008/07/23/corporacao-%E2%80%93-a-%E2%80%9Cpessoa%E2%80%9D-que-esta-destruindo-as-pessoas/
-http://www.plantandoconsciencia.org/corp.htm



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto

Eusou bióloga e professora de biologia,de ciencias,de matemática e de geometria.
Sou de Minas,e amo o meio ambiente,e
tenho grande admiração por pessoas
que respeitam a natureza,e tratam o
meio ambiente em que vivem de forma
sustentável e inteligente. Lia

Seguidores do Blog Jardins e CIA, Seja Bem Vindo

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.