Páginas

domingo, 5 de julho de 2009

Educação Sustentável


Educar para o futuro com sustentabilidade
Lia Fernandes
Introdução
Como educadora , bióloga e ambientalista eu não vejo educação no futuro sem falar de sustentabilidade, o grande desafio para a formação de novos profissionais é educar para uma sociedade sustentável.
Educar é algo coletivo, colaborativo. Não se admite mais em educação e no ambiente escolar segmentar conhecimento. A escola tem que ser interativa interdisciplinar. O uso de recursos midiáticos favorecem essa interatividade.Para garantir uma melhor qualidade de ensino para as gerações futuras.Por isso mais do que interdisciplinar a educação para o futuro tem que ser repleta de recursos audiovisuais midiáticos, tem que fazer uso de ferramentas multimídias.
Educação do futuro em um mundo sustentável
O termo sustentabilidade originou-se na economia (desenvolvimento sustentável) e na ecologia. Segundo Moacir Gadotti, “O termo se inseriu definitivamente na educação, sintetizado no tema: uma educação sustentável para a sobrevivência do planeta, difundido pelo movimento pela Carta da Terra. Esse tema vai dominar muitos debates educativos nas próximas décadas.”
Para Lia Dinskin, na educação do futuro é preciso desenvolver quatro habilidades e competências; contextualizar a informação, desenvolver senso crítico, alfabetização emocional e tomar cuidado com o comprometimento, para que ele não se transforme em oportunismo.
A educação dentro de uma perspectiva tecnológica é fundamental para a construção e a formação da cidadania.
A educação do futuro deve conhecer e desenvolver tecnologias sustentáveis e inovadoras. É evidente que os objetivos variam de acordo com cada curso ou disciplina proposta.
Segundo Perrenoud(200:128), “Formar novas tecnologias é formar o julgamento, o senso critico, o pensamento hipotético e dedutivo, as faculdades de observação e de pesquisa, a imaginação, a capacidade de memorizar e classificar, a leitura e a análise de textos e de imagens, a representação de redes, de procedimentos e de estratégias de comunicação.”
Na educação sustentável o aluno memoriza, ele adquire conhecimentos contínuos permanentes de forma crítica auxiliando com ensino-aprendizagem multimídia no trabalho intelectual.
As novas tecnologias permitem dinamizar, facilitar e sustentar uma aprendizagem eficaz, significativa e efetiva. Como as tecnologias estão em constante inovação elas permitem a rápida contextualização e atualização da educação e do conhecimento. As tecnologias educacionais rompem os limites e as barreiras sociais, geográficas, econômicas, políticas, etc. Uma vez que elas aumentam o acesso à informação e ao conhecimento. A educação tecnológica, nesse processo, torna-se inclusiva e favorece vários níveis sociais, inclusive as minorias, ou seja, possibilita que camadas mais pobres tenham acessos às mesmas quantidades de informações e aos mesmos conteúdos que a elite, permitindo que os menos favorecidos participem em maior quantidade de decisões que afetam suas vidas, possibilitando a mobilidade social, permitindo a cada um ser protagonista da sua própria história.
Os projetos políticos - pedagógicos das escolas e dos Estados devem incorporar as tecnologias dentro desses projetos, levando em conta as necessidades sócio- econômico-culturais das comunidades focando o desenvolvimento humano com sustentabilidade. Assim as tecnologias seriam uma ferramenta poderosa na inclusão e fortalecimento dos projetos e propostas político- pedagógicas da comunidade escolar respondendo às necessidades específicas das sociedades nas quais haverá de funcionar .
Conclusão
Segundo Frederico Mayor (UNESCO), “A chave do desenvolvimento sustentável e autônomo é a educação, uma educação que alcance todos os membros da sociedade, em novas modalidades e por intermédio de novas tecnologias para proporcionar a todos verdadeiras oportunidades de aprender ao longo de toda vida (...) “.
Sendo assim, a tecnologia contribui para uma maior democratização na educação e para uma educação cada vez mais sustentável, fortalecendo o exercício de uma cidadania duradoura, significativa e libertadora.
Aos profissionais ligados à educação, em todas as áreas, cabe a consciência que o uso destas tecnologias exige; uma nova maneira de entender a educação e uma nova forma de ver e pensar o mundo. E essa preocupação não pode ser só da área educacional, mas de todos os setores políticos, econômicos, meios de comunicação, ou seja, toda sociedade organizada.
Finalizo com uma frase de Fernando Pessoa:
“Da minha aldeia vejo quanto da Terra se pode ver o Universo...
Por isso a minha aldeia é tão grande como outra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo e não do tamanho da minha altura...”

Fontes
http://www.eca.usp.br/prof/moran/textost.htm
http://www.eca.usp.br/prof/moran/novtec.htm
http://aprendiz.uol.com.br/content/memesusled.mmp
http://www.recea.org.br/acervo/Proposta_POLITICA_WORD2.pdf
http://www.ebah.com.br/educacao-para-um-futuro-sustentavel-uma-visao-transdisciplinar-para-uma-acao-compartilhada-l179087.html
http://www.bancodoplaneta.com.br/profiles/blog/show?id=1741754%3ABlogPost%3A216142
http://www.tvebrasil.com.br/salto/boletins2003/ebs/index.htm
http://e-educador.com/index.php/artigos-mainmenu-100/4475-education09
http://www.profala.com/arteducesp149.htm





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto

Eusou bióloga e professora de biologia,de ciencias,de matemática e de geometria.
Sou de Minas,e amo o meio ambiente,e
tenho grande admiração por pessoas
que respeitam a natureza,e tratam o
meio ambiente em que vivem de forma
sustentável e inteligente. Lia

Seguidores do Blog Jardins e CIA, Seja Bem Vindo

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.